SEO Copywriting: transforme conteúdo em conversão

com Sem comentários

Na Era Google, fazer bons textos para a web (lê-se textos que serão lidos) vai além de ter uma ideia interessante, pesquisar e escrever bem. É preciso adequar o seu conteúdo a estratégias que irão torná-lo “encontrável” pelo motor de busca do Google e, consequentemente, pelo seu público-alvo.

A menos que você tenha uma marca de renome ou um blog famosinho na web, sem o uso de técnicas de SEO, os leitores dificilmente vão te achar e teremos mais um bom conteúdo desperdiçado.

Para te aproximar da missão de estar na primeira página dos resultados da busca Google, neste post falaremos sobre:

  • O que é SEO?
  • SEO on page
  • SEO off page
  • SEO copywriting

O que é SEO?

A maior parte das empresas que investe recursos em Marketing Digital quer o quê? Estar na primeira página do Google, entre outras metas.

Levar tráfego para o site = levar a sua marca, as suas ideias e os seu produtos ou serviços a mais pessoas.

Estar no Google, no entanto, não basta. Queremos estar logo na primeira página, pois 90% das pessoas que fazem pesquisas no Google sequer passam para a segunda página de resultados.

Se conseguirmos estar entre os primeiros resultados de pesquisa de forma orgânica (sem pagar por anúncios), perfeito!

Para isso existe o SEO:

SEO - Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca) é um conjunto de técnicas que otimizam sites e blogs para o ranking da busca Google, gerando tráfego orgânico a eles.

Considerada uma das principais estratégias de Marketing Digital, o SEO dá visibilidade à sua empresa na internet, levando até ela mais clientes, leads (potenciais clientes que demonstraram algum interesse nos seus produtos/serviços) e, consequentemente, oportunidades de negócio.

Leia mais: Otimização para mecanismos de busca - Guia especializado sobre como dominar SEO

Mecanismos de busca

Para entender o SEO, é preciso compreender como funcionam os mecanismos de busca.

A busca Google foi criada para satisfazer as necessidades dos seus usuários e, por esse motivo, tenta compreender a forma que eles pensam e fazem suas consultas. O objetivo é exibir logo nos primeiros resultados exatamente o que as pessoas estão procurando.

E é por isso que para explorarmos ao máximo as estratégias de SEO, é preciso nos colocarmos no lugar dos usuários: como você procuraria por determinado conteúdo?

Mulher no escritório usando um celular

O resultado de uma busca no Google é dividido em duas partes:

- Pagos: em primeiro lugar aparecem as páginas que foram anunciadas no Google Adwords . As páginas são rankeadas quando as suas palavras-chaves forem digitadas na pesquisa. Os anunciantes pagam por cliques recebidos.

- Orgânico: a seguir, aparecem os resultados orgânicos. Ou seja, páginas consideradas relevantes pelo Google para a palavra-chave buscada, sem investimento em anúncios.

resultado de pesquisa do google para anúncios do google

No caso dos resultados orgânicos, os robôs do Google (Google Bot) rastream todas as páginas da internet e leem o que tem em cada uma delas para fazer um ranking baseado nas palavras-chaves utilizadas pelos usuários durante as consultas.

Quando a gente faz uma busca no Google, os resultados são sites que ele considera mais relevantes e com conteúdo completo para responder à nossa dúvida.

SEO on page

Os fatores on page são os que conseguimos trabalhar diretamente nas páginas e posts que publicamos.

Basicamente, é essencial a qualidade do que é publicado. Mas como o Google consegue saber o que é bom ou não?

Os mecanismos de busca utilizam-se de alguns parâmetros para determinar o que é relevante, como:

Tamanho do texto

Em média, os conteúdos que figuram nas primeiras posições têm mais de 2 mil palavras. O que quer dizer que, para o Google, o conteúdo tem de ser completo para atender às necessidades dos usuários e ganhar o status de relevante.

No entanto, para ser indexado, um texto deve ter a partir de 300 palavras.

SEO title

SEO title é o título da página no resultado do mecanismo de busca. Ele deve ter aproximadamente 55 caracteres , sendo que a palavra-chave deve vir primeiro. Portanto, seja objetivo.

Um bom SEO title é uma das características mais importantes do seu texto, que pode garantir a ele não só o rankeamento, mas também um alto número de cliques.

Título interno (tag title)

Se o leitor já se interessou pelo seu conteúdo ao vê-lo listado entre os primeiros resultados do Google, ao entrar na sua página, ele deve perceber rapidamente que aquilo é mesmo o que ele procurava e ter vontade de continuar lendo o texto.

O título interno deve despertar curiosidade e conter a palavra-chave, independentemente da sua posição. Aqui, não há limite de caracteres.

URL

Na hora de escolher a URL, é essencial incluir a palavra-chave. Porém, quanto menos elementos a URL tiver, melhor. Use hífens para separar as palavras e garanta que ela seja relacionada ao título do post.

Ex.: título: “Mulheres no marketing digital: por que vale a pena investir”. URL: www.oseusite.com/mulheres-no-marketing-digital ou www.oseusite.com/blog/mulheres-no-marketing-digital.

Dicas: não troque a URL depois que a sua página for indexada pelo Google, nem utilize muitos subdomínios (ex.: www.oseusite.com/site/blog/mulheres-no-marketing-digital).

Headings

Use apenas um heading 1 (H1) para o conteúdo mais importante e hierarquize os demais subtítulos, de H2 a H6.

Assim, você diz ao Google o que é mais importante e possibilita aos usuários uma leitura escaneada (essencial no ambiente online).

Dicas:

  • Sempre use H1, H2 e H3. Daí para a frente, é estético;
  • Inclua a palavra-chave nos H1 e H2, se possível;
  • Use long tails (palavras-chaves longas) nos demais intertítulos.

Palavra-chave

A palavra-chave deve aparecer no começo do conteúdo. Assim, o Google identifica que a página está falando do assunto que se propôs abordar.

O uso da palavra-chave e sinônimos no decorrer do texto deve ocorrer de forma natural, pois exageros também são penalizados. Contudo, não existe um número exato de vezes que a palavra-chave deve aparecer no conteúdo.

Falaremos mais sobre esse tópico a seguir, no item SEO Copywriting.

Tempo de permanência na página

Como o Google não é capaz de fazer uma leitura das páginas da mesma forma que os humanos, ele considera o tempo que os usuários que acessaram o seu conteúdo permaneceram nele para classificá-lo como relevante.

Para garantir a redução do abandono, faça conteúdos de qualidade e com uma uma introdução que gere interesse e curiosidade nos leitores. Assim, eles passarão mais tempo na sua página.

Imagens

As imagens que aparecem na sua página também devem ser otimizadas para o SEO. Como o buscador lê apenas texto e código, se você não otimizar as imagens, é como deixar espaços em branco no seu conteúdo, prejudicando o rankeamento.

Nas imagens, é importante dar atenção:

  • Nome do arquivo: use a palavra-chave separada por hífens. Não use espaços e evite números.
  • Texto alternativo (alt text): o Google precisa de uma descrição do que tem na sua imagem para poder compreendê-la e, assim, rankeá-la no Google Images. Além do mais, o alt text é usado por pessoas com deficiência visual que utilizam softwares que fazem a leitura do que está na página.

O alt text deve ser a descrição literal da imagem, com o uso da palavra-chave. Este é o principal fator para a imagem aparecer no Google.

  • Tamanho da imagem: imagens muito pesadas sobrecarregam o site, tornando-o mais lendo. Imagens pequenas também comprometem a experiência do usuário. Tudo isso é levado em conta pelos algoritmos.

Linkagem

Os links são extremamente importantes para dar relevância à sua página, pois os crawlers do Google verificam a experiência dos usuários ao navegarem entre os seus posts e outros conteúdos relevantes.

No entanto, não basta linkar as suas páginas com outras que não estão indexadas e têm baixa leitura.

Opte por incluir no seu conteúdo links para sites oficiais e de instituições relevantes, ou empresas e blogs que apareçam nas primeiras páginas da busca Google sobre o assunto que o seu conteúdo está abordando.

Claro que o link deve ser relacionado ao tema do seu post. Caso contrário, ele não vai agregar como estratégia de SEO, tão pouco na experiência do leitor.

Design responsivo

Além de os mecanismos de busca priorizam sites mobile friendly, mais da metade de todo o tráfego na internet em todo o mundo é feito de smartphones.

Ou seja, não faz o menor sentido o seu site não ser otimizado para dispositivos móveis.

Tempo de carregamento

O tempo de carregamento da página é fundamental para um bom rankeamento.

Você costuma esperar mais do que 4 segundos para uma página carregar? A maioria das pessoas não espera...

Meta description

Meta description é a descrição da página que aparece para o usuário na busca Google. Ela não influencia no rankeamento em si, mas faz com que a página seja clicada (ou não) ao ser listada nos resultados de busca.

metadescription do google adwords mostra na pesquisa do google

Para fazer uma meta description, não copie e cole um pedaço da introdução. Use a palavra-chave para resumir ao leitor em 150 caracteres o que ele vai encontrar no conteúdo.

Botões de compartilhamento

Como veremos a seguir, o Google também observa o quão popular a sua página e os seus conteúdos são em plataformas de redes sociais.

Portanto, disponibilize este recurso no seu site para facilitar o compartilhamento dos conteúdos pelos leitores.

SEO off page

Além dos fatores on page, mais facilmente administrados pelos donos das páginas, o Google valoriza também quesitos off page.

De acordo com o raciocínio dos robôs, estes quesitos representam a autoridade do seu conteúdo e como os clientes ou leitores têm se beneficiado dele.

São considerados:

Link building

Link building são links de outros sites para o seu.

O Google entende que links para o seu site servem como indicações. Ou seja, quanto mais sites externos de relevância apontarem para o seu, mais autoridade você tem sobre determinado assunto.

Vale ressaltar que se você receber links de um site que não fale do mesmo assunto que você, a relevância desses links não é tão significativa.

O link building é considerado a parte mais importante do SEO off page!

Localidade

Os mecanismos de busca priorizam resultados de empresas que ficam no local onde está o usuário. Então, é sempre importante indicar onde a sua empresa está localizada, mesmo que a área de atuação dela não seja limitada pelo endereço onde se encontra.

Redes sociais

Menções e compartilhamentos da sua marca nas redes sociais também contam.

Se o Google observar que os seus posts agradam os usuários das redes sociais, o seu site ganha autoridade no sistema de busca.

Veja também: Gerenciamento de redes sociais: o que acontece quando cuidamos disso

Domínio

Domínios mais antigos são considerados mais relevantes.

Eles também são propensos a ter mais conteúdo publicado, o que é outro fator significativo para o mecanismo de busca.

SEO copywriting

SEO copywriting é uma estratégia de atração do Marketing Digital para levar tráfego ao seu site e, consequentemente, gerar oportunidades de negócios.

As técnicas de SEO copywriting têm o objetivo de adaptar a forma como você escreve para, além de atender às necessidades dos leitores, garantir que o seu conteúdo tenha um posicionamento melhor nos resultados da busca Google e gerar negócios.

Em resumo, a ideia é atrair o seu público-alvo ao oferecer conteúdo de qualidade por meio de textos publicados na página do seu site e no blog da sua empresa sobre assuntos diretamente relacionados aos produtos que ela oferece ou serviços que presta.

Confira a seguir algumas dicas para a composição do texto, para além dos pontos essenciais do SEO on page e off page mencionados acima.

Persona

Conheça o seu público. Só assim saberá os seus interesses e conseguirá escrever diretamente para ele.

Uma dica é construir personagens com características bem específicas (como nome e sobrenome), que tenha o perfil dos seus clientes. Assim, fica mais fácil escrever textos 100% voltados para atendê-los.

Crie conteúdos relevantes

Utilize ferramentas como Google Trends para saber o que as pessoas estão procurando.

Pelos canais de comunicação da sua empresa, você pode sondar os interesses dos seus clientes especificamente.

Além disso, faça uma pesquisa aprofundada do assunto selecionado, para fornecer aos leitores todas as informações que eles possam estar procurando sobre determinado tema em um único post.

Palavra-chave

Aproveite os benefícios que o uso das palavras-chaves traz para o seu texto, mas cuidado com obsessões.

A repetição exagerada de um termo torna o texto cansativo e de leitura desagradável. O ideal é, então, trabalhar com as palavras-chaves de forma que o leitor não perceba a intenção de destacá-las. Usar sinônimos e termos relacionados também é uma boa solução.

Há diversas ferramentas online gratuitas que ajudam a selecionar palavras-chaves, como o Google Suggest (auto complete da própria busca Google), Keyword Planner e nos Ubbersuggest.

Contato

Ler um texto na internet não é como ler um livro, não é mesmo? Por isso, eles devem ser escritos de forma diferente.

Utilize recursos que facilitem a leitura, como bullets para listas, tabelas e intertítulos (como falamos anteriormente). Destacar partes importantes em negrito também é bem-vindo, mas não abuse.

Os parágrafos, preferencialmente, não devem ter mais do que 4 linhas. E o texto deve sempre estar alinhado à esquerda.

Utilize o sucesso do seu conteúdo para conversões

Sempre que possível, inclua um botão de call to action.

Lembre-se que não é necessário forçar a situação, pois, de qualquer forma, o conteúdo leva potenciais clientes à sua marca e, se você alimentar essa relação, mais cedo ou mais tarde ela pode vir a ser uma oportunidade de negócio.

Agrade algoritmos e pessoas

Esta última dica é, na verdade, um resumo de tudo o que foi dito até aqui. Pois um conteúdo otimizado para a web deve ser, primeiramente, qualificado para o seu público-alvo.

Para saber mais, siga-nos no Instagram e nos Facebook.

Siga Fernanda Bassi:

Produtora de conteúdo

Jornalista e Mestre em Cultura e Comunicação, especializada em representação feminina na mídia. Nascida em São Paulo, é membro do sobrecarregado fluxo migratório Brasil » Irlanda » Portugal. Fluente no dialeto desse movimento, que mistura sua língua nativa com o português de Portugal e o inglês, defende a combinação de pão de queijo, vinho alentejano e irish apple pie no menu de qualquer evento.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *